Sábado, 2023-01-28, 1:30 PM
Le saludo Visitante | RSS

CONHECENDO LINUX

Menú do Site
Pesquisa Online
Estimen mi sitio
Total de respuestas: 21
Estatística

Total en línea: 1
Invitados: 1
Usuarios: 0
Formulario de entrada

Curiosidades Sobre Tecnologias!!

A tecnologia e sua evolução:

O ser humano, dotado de sua inteligência, buscou formas, durante toda a história, de vencer os obstáculos impostos pela natureza.

Desta forma, foi desenvolvendo e inventando instrumentos tecnológicos com o objetivo de superar dificuldades.

Podemos dizer que a necessidade é a mãe das grandes invenções tecnológicas.

Acompanhe abaixo um histórico da evolução tecnológica:

1291 - Na Itália surgem os primeiros espelhos.
1439 - O alemão Johann Gutenberg. inventa a máquina chamada de Imprensa (prensa por tipos móveis). Com está máquina o homem passou a produzir de forma mais rápida e eficiente, os livros. Esse invento causou uma revolução na cultura da época.
1590 - O holandês Zacharias Janssen (1580-1638?) fabrica o microscópio, utilizando técnicas usadas na fabricação de lentes para óculos.
1592 - O astrônomo e inventor italiano cria o primeiro termômetro utilizando o sistema de água para a medição de temperatura.
1643 - O cientista italiano Evangelista Torricelli inventa o barômetro para medir a pressão atmosférica.
1707 - O físico inglês John Floyer inventa o relógio de pulso.
1712 - O engenheiro inglês Thomas Newcomen inventa a máquina a vapor.
1800 - O físico italiano Alessandro Volta cria a bateria elétrica.
1839 - O artista e pesquisador francês Louis-Jacques-Mandé Daguerre tira a primeira fotografia, com sua máquina chamada daguerreótipo.
1860 - O inventor belga Jean-Joseph-Etienne Lenoir desenvolve o primeiro motor a explosão.
1876 - O americano Alexander Graham Bell inventa o telefone, possibilitando a comunicação entre pessoas situadas a longas distâncias.
1879 - O americano Thomas Alva Edison inventa a lâmpada elétrica.
1901 - É criado o rádio pelo italiano Guglielmo Marconi.
1903 - Os irmãos  Wright  pilotam o primeiro avião.
1904 -  Criadas pelo engenheiro inglês John Ambrose Fleming surgem as válvulas eletrônicas.
1906 - O brasileiro Alberto Santos Dumont voa em paris no 14 bis e passa também a ser considerado um dos pais da aviação junto com os irmãos Wright.
1941 - O engenheiro inglês Frank Whittle desenvolve o avião a jato.
1943 - A empresa japonesa Motorola lança no mercado o walkie-talkie.
1945 - Os EUA detonam no deserto do Novo México a primeira bomba atômica.
1946 - O engenheiro americano Vannevar Bush desenvolve um computador usando válvulas de rádio.
1947 - A televisão começa a chegar nos lares de pessoas de todo o mundo.
1948 - Começam a ser utilizados os chips de silício e as válvulas eletrônicas.
1956 -O pager é lançado nos Estados Unidos.
1961 - Lançada a Vostok, a primeira nave espacial tripulado por ser humano a sair da atmosfera terrestre.
1965 - Lançados os primeiros satélites de comunicação. Inaugura uma nova era na transmissão de dados eletrônicos.
1972 - Os discos laser são lançados revolucionando a indústria fonográfica.
1977 - Lançado nos Estados Unidos o primeiro telefone celular.
1981 - Primeira viagem de um ônibus espacial.
1995 - Dave Wineland e Chris Monroe desenvolvem o primeiro transistor do tamanho de um átomo.
1998 - Lançado no Brasil os primeiros DVDs.
1999 - A Internet cresce no mundo todo em velocidade impressionante. Os arquivos de MP3 começam a ser usados e transmitidos pelas ondas da Internet.


Fonte:

http://www.suapesquisa.com/tecnologia/



História do Videogame

O primeiro videogame, se é que podemos chamá-lo assim, foi desenvolvido em 1962, por Slug Russel, Wayne Witanen e Martin Graetz, colegas do Instituto Ingham de Massachusetts, EUA. Baseados em protótipos de vários equipamentos, eles decidiram criar algo útil para suas horas vagas. Nasce assim, o primeiro jogo eletrônico: o Spacewar.

Após um período de dez anos, o primeiro videogame passou a ser vendido nos Estados Unidos. Era o Odissey, elaborado pela empresa Magnavox, em 1972. O Odissey foi comercializado no Brasil  no final da década de 70. Tendo sido fabricado pela Philco e Ford, o console ficou conhecido como Telejogo. Essa foi a época "negra” do videogame, na qual os jogadores tinham que ter bastante imaginação, pois quadrados na tela significavam pessoas, naves, etc.

Um pouco depois do lançamento do Odissey, surge o fenômeno que todos normalmente associam com a história do videogame: o Atari. Projetado por Nolan Bushnell e lançado em 1978 nos Estados Unidos e em 1983 no Brasil, o console Atari 2600 é considerado um símbolo cultural dos anos 80 e um fenômeno de vendas. Após a quebra da Atari no início dos anos 80, a Nintendo começou a erguer seu império. Seu primeiro sucesso de vendas foi o console Famicom, de 8 bits, que foi rebatizado de NES (Nintendo Entertainment System). Sob o NES, foram feitos jogos famosíssimos, como Mario e Donkey Kong, por exemplo.

Enquanto a Nintendo crescia e se consolidava como a maior no mundo dos consoles, a SEGA, outra empresa japonesa, também se desenvolvia. Para concorrer com o NES, a empresa lançou o Master System.

Sabendo que não iria ultrapassar a Nintendo na guerra dos 8 bits, a SEGA desenvolveu um novo console, de 16 bits: o Mega Drive. A líder, Nintendo, obviamente entrou na disputa e lançou um dos maiores sucessos de toda a história do videogame: o Super NES. Este é um dos clássicos episódios da história do videogame. Enquanto o console da SEGA tinha mais jogos, o da Nintendo era mais avançado e possuía melhores gráficos. Afinal, quem nunca ouviu falar da disputa entre Mario e Sonic, Nintendo e Sega, respectivamente?

Após essa longa disputa, entra uma nova e forte concorrente no mundo dos games: a Sony, dando início também, à uma nova geração de consoles. Nesse momento, a SEGA lançou sem muito sucesso seu 32 bits, Saturn. A Nintendo surpreendeu todo o mundo anunciando o N64, com gráficos de 64 bits! Outro importantíssimo fato é o lançamento do Playstation, da Sony, que por possuir uma grande biblioteca de jogos, tornou-se o líder da geração, com 100 milhões de consoles vendidos.

Por se recente, a penúltima geração dos videogames é conhecida até mesmo pelas crianças. O fantástico Playstation 2, da Sony, lançado no ano de 2000, o qual continuou a história de sucesso do PlayStation, passando a ter mídias em formato de Dvd. O GameCube, da Nintendo, sendo o sucessor natural do N64 em 2001, e a novidade Xbox, da gigante dos softwares Microsoft.

A mais recente geração de consoles se resume nos três lançamentos das mesmas fabricantes da geração passada. A disputa entre o Playstation 3, da Sony; o Wii, da Nintendo; e o Xbox 360, da Microsoft; parece que vai durar um bom tempo. Se a Sony preferiu esperar (e muito) para lançar seu PS3 com gráficos futuristas, a Nintendo conta com seu gigantesco acervo de games antigos, além de uma forma inovadora de se jogar. A Microsoft também possui uma enorme experiência no mundo dos softwares, o que pode lhe dar significativas vantagens nessa disputa.

Os videogames possuem tanto sucesso na atualidade, que de 1999 a 2004, a indústria dos games faturou 21 bilhões de dólares, mais que duas vezes o faturamento de todos os filmes de Hollywood no mesmo período.


Fonte:

http://www.historiadetudo.com/videogame.html



A história dos tablets

Computadores sem teclado começam a virar realidade, porém o Baixaki descobriu que o equipamento tem uma longa história marcada por fracassos e dificuldades.

Depois do lançamento do Apple iPad a febre tecnológica passou dos e-readers para os tablets. Se até o dia 27 de janeiro de 2010 os fabricantes anunciavam quase diariamente um novo modelo de leitor digital, desde então novos portáteis touchscreen são revelados com a mesma frequência.

Mas o "iPhonão” de Cupertino é apenas a mais nova aplicação de um conceito de equipamento existente na informática desde a década de 1980. Descubra neste artigo como um dispositivo dado como morto pelo mercado tornou-se o mais recente objeto de desejo dos geeks.

Como tudo começou

Quando os computadores começaram a aparecer fora das empresas, muitos usuários reclamavam de terem de usar um teclado. Por mais que a semelhança com a máquina de escrever existisse – graças ao padrão QWERTY de distribuição de letras e números – a quantidade de funções desempenhadas a partir de toques era gigantesca.

Lembre-se de que nos anos 1980 o mouse não era um equipamento padrão em computadores pessoais, e a interface gráfica que você conhece hoje ainda estava dando seus primeiros passos. O MS-DOS e outros sistemas operacionais de linha de comando imperavam no cenário da informática doméstica.

GRiDPAD

Quando, em 1989, a GRiD lançou o seu GRiDPad, a revolução que muitos acreditam começar agora com o iPad se iniciou de fato. A computação baseada em canetas se mostrou promissora, trocando o teclado pela tela sensível, ativada por stylus e prometendo o reconhecimento de escrita que faria qualquer pessoa aprender rapidamente a usar um computador.

Alarde e decepção

De maneira semelhante à que vemos hoje, assim que o GRiDPad foi lançado o mercado viu uma enxurrada de aparelhos semelhantes. Os slate computers – como eram chamados na época – surgiram nos mais diversos formatos.

Apple Newton

Em 1992 a Microsoft coloca no mercado o Microsoft Windows for Pen Computing, que permitia aos desenvolvedores a criação de aplicativos dedicados à nova forma de interagir com a máquina. No ano seguinte a Apple embarca no hype com o Newton, historicamente um de seus maiores fracassos comerciais.

Até 1995, os Pen Computers – outro nome comercial da época – mantiveram-se como grande esperança, mas sem muito sucesso comercial. Motivos para isso sobravam: o tão enaltecido reconhecimento de escrita funcionava mal e as limitações de processamento, memória e tamanho dos computadores os transformavam em pouco mais do que agendas eletrônicas touchscreen.

Casio Cassiopeia, um dos rivais do Palm Pilot

Em 1996 o cenário começa a mudar, graças ao PalmPilot. O pequeno aparelho foi o primeiro Pen Computer a realmente ser um sucesso de vendas, graças ao seu bom hardware e ao sistema Graffitti de entrada de caracteres, com seus movimentos diferenciados para cada letra.

Como o mercado manda, no rastro do PalmPilot, vários outros PDAs (Personal Digital Assistants – Assistentes pessoais digitais) foram lançados, inclusive o grande rival da Palm: o PocketPC.

Ascensão e queda

Os PDAs mantiveram-se como principal forma de slate PC para o público geral até o surgimento e a popularização dos smartphones. Apesar de não funcionarem da mesma forma, a convergência da computação móvel com a telefonia celular gerou a possibilidade de conexão com a internet em qualquer lugar, coisa que os PDAs não fazem, dependendo sempre de linhas telefônicas fixas ou hotspots Wi-Fi.

Portões abertos
Um dos principais responsáveis pela permanência dos slate PCs no mercado foi Bill Gates, da Microsoft, que manteve o investimento de sua empresa no desenvolvimento de software destinado aos tablets. O Windows XP Tablet Edition, por exemplo, era acompanhado de uma série de especificações mínimas de hardware.

Exo Windows 7 Tablet PC

Quando um determinado equipamento atendia a essas especificações, recebia o certificado Windows Tablet PC, comprovando sua capacidade de operar como um computador normal, porém sem depender do teclado.

Mesmo com todas as dificuldades, duas categorias de slate PC – além dos pequenos PDAs - conseguiram conquistar seu espaço: os notebooks híbridos e os rugged tablets.

Escritório portátil

Notebook híbrido Compaq

Os híbridos são misturas de tablets com notebooks normais. Para alterar entre um estado e outro basta girar a tela sensível a toque, deixando a carcaça sobre o teclado, e a tela exposta.

Esse tipo de equipamento é principalmente utilizado no cenário corporativo, em que apresentações rápidas e discussões sobre documentos acontecem com frequência graças à tela basculante em duas direções.

Além disso, não é incomum um gerente de fábrica ou um executivo não poder sentar em uma mesa para começar a registrar dados em planilhas ou em texto, tarefa bastante facilitada pela tecnologia digital ink desenvolvida pela Microsoft. Logo depois, em seu escritório, o usuário pode colocar a tela de volta em uma posição normal e utilizar o híbrido como qualquer outro notebook.

Heróis da resistência

General Dynamics Itronix rugged tablet

Com um conceito completamente oposto aos notebooks híbridos, os rugged tablets são equipamentos destinados a uso bastante específicos. Encontrados em grandes obras de engenharia, operações militares e outros cenários críticos, esses dispositivos prezam tanto pela eficiência de utilização quanto pela resistência a intempéries e acidentes.

Enquanto a maioria dos computadores não resiste sem marcas a quedas e outros eventos igualmente trágicos, os rugged tablets são certificadas justamente em relação à sua resistência. Além disso, também a proteção contra riscos ambientais – água, poeira e similares – conta para a obtenção desse status.

Minitablets

Os smartphones que roubaram a cena dos PDAs se desenvolveram e, equipados com touchscreens, receberam o nome de tablet. O próprio iPhone apresenta várias características que permitem classificá-lo assim, e que também são encontradas na sua versão fermentada: o iPad.

Mas além dos super telefones, uma categoria especial de equipamentos pode ser considerada a origem de todo o frisson atual sobre os computadores touchscreen: os MID (Mobile Internet Devices – dispositivos móveis para internet). Dentre eles, provavelmente os mais conhecidos pertencem à série N da finlandesa Nokia.

Nokia N810

Muito semelhantes aos PDAs de antigamente por fora, e mais poderosos que os smartphones por dentro, aparelhos como o Nokia N810 levam ao usuário uma experiência de uso bastante interessante, com interface adaptada ao toque e um teclado físico integrado para digitações mais complexas.

A nova geração

Desde 27 de janeiro – data do anúncio oficial do iPad – o mercado recebe promessas de novos produtos quase diariamente. De maneira bastante semelhante ao início dessa história, todos querem entrar no segmento que promete desbancar netbooks e e-readers como gadgets do ano.

ICD Ultra        Apple iPad

Mais poderosos, versáteis e bonitos que os slate computers dos anos 1990, os tablets de 2010 contam também com um grande aliado para não seguir o rumo jurássico de seus predecessores: a tecnologia móvel atual, com 30 anos de vantagem em desenvolvimento.

Com redes Edge, 3G e Wi-Fi disponíveis em quase todos os lugares, sistemas operacionais extremamente adaptados à realidade dos portáteis – como o iPhone OS e o Android – e hardware específico como as telas capacitivas e os processadores de baixo consumo, muitas dificuldades enfrentadas pelos primeiros slate PCs não passam perto dos aparelhos mais recentes.

Daqui para frente

enTourage eDGe

Não é possível adivinhar o que virá, mas baseado em patentes já reveladas e anúncios de diversas empresas, pode-se esperar uma convergência ainda maior dos leitores digitais e tablets.

A Amazon.com já liberou a plataforma de desenvolvimento do Kindle, a Microsoft anunciou em 2009 o Courier, e diversas empresas trabalham com tecnologias que podem ser utilizadas nesse tipo de equipamento: telas flexíveis, E-ink colorido e com frequência suficiente para vídeo etc.

Mas pode-se deixar o futuro para depois, e aproveitar ao máximo as maravilhas ofertadas hoje mesmo. Afinal, quem não quer um tablet?



Fonte:

http://www.tecmundo.com.br/3624-a-historia-dos-tablets.htm

Busca
Calendario
«  Enero 2023  »
LuMaMiJuViSaDo
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031
Amigos do site

Copyright MyCorp © 2023